Chile: De San Pedro do Atacama à Patagônia. Dicas, roteiros e o que visitar

San Pedro de Atacama

Salar de Tara – Deserto do Atacama

Olá pessoal! Procurando por dicas e roteiros sobre o Chile? Neste post irei contar como foi minha experiência de viajar para esse lindo país da América Latina. Foram vinte e três dias viajando, do norte ao sul, explorando as mais belas paisagens e riquezas naturais desse país.

Minha viagem foi dividida basicamente em 3 regiões. No norte, me dediquei a conhecer os encantos do Deserto do Atacama. Na região mais central do país, SantiagoValparaíso e Viña Del Mar. E, no extremo sul, as pacatas cidades de Punta Arenas e Puerto Natales e a mais recente oitava maravilha do mundo, o Parque Nacional Torres Del Paine.

Para começar, gostaria de contar como surgiu a ideia de viajar para o Chile. Em dezembro de 2013, estava em cartaz o filme “A vida secreta de Walter Mitty”. É um filme incrível, que lhe deixará uma vontade enorme de viajar e conhecer o mundo. Então, na empolgação pós filme e em um ato de impulsividade, resolvi comprar a passagem.

Hoje, tenho certeza que foi uma das melhores coisas que já fiz, principalmente pelo fato de viajar sozinho. Mas deixarei para falar sobre essa experiência em outro tópico. Minha passagem foi comprada com cerca de 1 mês e meio de antecedência e custou R$ 897, ida e volta. O voo saiu do Rio de Janeiro em direção a Santiago.

Santiago (3 a 6 de fevereiro):

Cheguei a Santiago bem tarde. Então, nesse primeiro dia, fui direto do aeroporto para o hostel. Como já estava tarde e ainda não conhecia a cidade, resolvi pegar um transfer para o hostel, e me foi cobrado 12 000 pesos.

Dica importante: por incrível que pareça, uma das melhores cotações, que encontrei em casa de câmbio, foi no aeroporto. Neste dia, conheci a cotação de 1 real para 250 pesos. Outro lugar, que encontrei boa taxa de câmbio, foi na rodoviária de Santiago. Nos demais lugares e outras cidades, encontrei uma cotação pior.

Onde se hospedar em Santiago:

Fiquei hospedado no hostel Dominica, localizado no bairro chamado Bellavista. É considerado um bairro bom, com ótima localização para conhecer os principais pontos turísticos, além de ficar numa área rodeada por bares e boates. O hostel, em que fiquei, tinha uma boa localização, próximo ao metrô, e achei seguro.No entanto, tem o inconveniente de ficar próximo aos bares, logo, tem uma intensa circulação de jovens, ou seja, há muito barulho durante a madrugada. Se você prefere um lugar mais silencioso, recomendo outro local, mas, se isso não for uma questão, o preço é mais acessível: 8 000 pesos a diária.

O que visitar em Santiago:

No dia seguinte, acordei bem cedo e fui fazer o “free” tour, que acontece no centro. O pessoal se reúne na Plaza de Armas e caminha com um guia pelos principais monumentos e prédios das redondezas. Eu particularmente não gostei muito. Primeiro, porque o guia explicava em inglês e não em espanhol. Um dos meus objetivos era aprender um pouco de espanhol. Segundo, porque o guia apenas explicava e passava em frente aos pontos turísticos, mas não chegava a entrar nos locais.

Como conheci duas brasileiras no tour, decidimos abandonar o mesmo e fazer o passeio por nossa conta. Fomos para o Cerro San Cristóbal. O lugar é maravilhoso! Para chegar até lá, você irá subir numa espécie de “trenzinho” chamado funicular. Lá do alto, a vista é incrível! Você terá praticamente uma vista de 180 graus da cidade, além de poder ver de longe a Cordilheira dos Andes.

Outra atração é o Santuário Inmaculada Concepción. Após esse passeio, fui conhecer a famosa casa do poeta e escritor Pablo Neruda, La Chascona. Lá você conhecerá um pouco sobre a sua história e de sua amante. Para quem gosta de arte e literatura, essa dica é essencial.

Uma das vantagens de conhecer Santiago nessa época do ano é que escurece muito tarde. O sol se põe por volta de 20:30, então os dias são duradouros, fazendo com que você possa aproveitar mais. Durante a noite, neste dia, fomos até os barzinhos, localizados na rua Pio IX.

o que visitar em Santiago

Palacio de la moneda

Cerro San Cristobal

Vista de Santiago

Cerro San Cristobal

Virgem de Imaculada – Cerro San Cristobal

O dia seguinte foi o dia do desastre… Resolvi alugar um carro, junto com as brasileiras que conheci no tour, para conhecer Valparaíso e Viña del Mar. Passando pelo primeiro pedágio, eis que o pneu fura! E, devido a um problema na porca, não foi possível trocá-lo. Por tal motivo, tivemos que esperar alguém acionar o socorro, e, após horas, o guincho nos levou até uma oficina na estrada, a fim de serrar a porca e conseguir trocar o pneu. Com isso, perdemos o dia e o passeio. O que restou foi poder beber e curtir uma boate durante a noite!

San Pedro de Atacama (6 a 13 de fevereiro)

Bom, a minha ida a San Pedro do Atacama já estava programada antes de ir para o Chile. Muitos mochileiros acabam conhecendo esse lugar através do mochilão pela Bolívia-Chile-Peru, então, geralmente acabam vindo da Bolívia, o que não foi meu caso. Como meu objetivo era explorar o máximo do Chile, acabei viajando de Santiago até San Pedro.

Comprei minha passagem, com antecedência, pelo site da LAN/CH. Atenção: existe uma diferença enorme de preço pela LAN/BR!! Meu voo foi em direção a Calama. De lá, contratei um transfer que me levou até San Pedro. Paguei algo em torno de 100 reais, ida e volta (você pode agendar sua volta, o que recomendo, pois foram pontuais ao me buscarem).

Onde se hospedar em San Pedro do Atacama:

Cheguei a San Pedro por volta das 15 hs, deixei minhas coisas no hostel (8 000 pesos a diária). Fique hospedado no Hostel Laskar Cabur, que por sinal é excelente! Bem organizado, limpo e possui um clima alto astral. Possui uma área externa onde o pessoal se reúne ao redor de uma fogueira e violão durante a noite.

Dica importante: existem várias agências de turismo que cobram diferentes preços pelos passeios, então, o segredo é perguntar para as pessoas no hostel e pesquisar entre as agências os melhores preços. Recomendo contratar todos os passeios de uma só vez, pois eles dão descontos para um número maior de passeios. Acabei fechando com a agência Andes Travel por encontrar o melhor preço.

Não fiz nenhum passeio ruim, todos foram maravilhosos, e os organizei da seguinte forma: alternando, a cada dia, entre manhã e tarde. Dessa forma, não ficava tão cansativo e conseguia aproveitar as festas na cidade. Recomendo os seguintes passeios: Valle de la Luna, Laguna Cejar, Lagunas Altiplânicas, Sandboard nas dunas do Valle de la Luna, Geiser del Tatio e Tour Astronômico. Paguei 100 000 pesos por esses passeios (cerca de 400 reais).

A cidade é bem pequena, você consegue circular a pé. Procure por restaurantes locais ou faça sua própria comida no hostel para economizar. Ande sempre com uma garrafa d’água e compre o galão de 5 litros para deixar no hostel. O clima é bastante seco. Não esqueça o protetor solar.

Durante a noite, costuma esfriar, então é fundamental levar agasalho. Os chilenos costumam fazer uma espécie de festa no deserto, a chamada “fiesta clandestina”. Procure se informar, é bem legal. Também fazem uma espécie de luau no vale de um antigo rio, mas esse luau é mais restrito, então enturme-se com os chilenos! Senti uma energia muito boa em San Pedro. As pessoas são bem animadas, carismáticas e, por isso, fiz muitas amizades. Os chilenos são bem alegres e amigos!

San Pedro de Atacama

Salar – Deserto do Atacama

o que fazer em San Pedro de Atacama

Pedra do Coyote – Valle de La Muerte

O que visitar em San Pedro de Atacama

Valle de La Muerte

San Pedro de Atacama

Valle de La Luna

San Pedro de Atacama

Vulcão Licancabur ao fundo

Sandboard no Valle de La Luna

Sandboard no Valle de La Luna

San Pedro de Atacama

Salar de Tara – Deserto do Atacama

San Pedro de Atacama

Salar de Tara

O que visitar no deserto do Atacama

Salar de Tara

Deserto do Atamaca

Formação Rochosa

Atacama

Reserva de Flamingos

San Pedro de Atacama

Lagunas Altiplânicas Miscanti e Miñiques

lagunas-altiplanicas-atacama

Deserto do Atacama

Vicuña descansando

Geiser Del Tatio

Gaivota repousando nos geisers

O que visitar em San Pedro de Atacama

Geiser Del Tatio

o que fazer em San Pedro de Atacama

Geiser Del Tatio

San Pedro de Atacama

Laguna Cejar

Atacama - Chile

Laguna Cejar

Atacama Chile

Flamingos

De volta a Santiago (13 a 15 de fevereiro)

Dessa vez não foi preciso pagar mais caro para sair do aeroporto. Como estava mais informado, peguei um ônibus em direção a Passajitos (1500 pesos, bem mais em conta!!). De lá, peguei o metrô em direção a Baquedano. Andei cerca de 10 minutos e cheguei ao mesmo hostel em Bellavista. Como já estava anoitecendo neste dia, não fiz nenhum outro tour, apenas aproveitei para descansar e dormir cedo.

Como na minha primeira estadia em Santiago não consegui fazer o passeio a Valparaíso e Vina del Mar, devido ao imprevisto, aproveitei para fazer esse tour durante o dia, num bate-e-volta. Fui até a rodoviária e comprei uma passagem para Valparaíso (7 000 pesos). Chegando à rodoviária de Valparaíso, encontrei uma agência de turismo que fazia o passeio pelas duas cidades com um guia numa van. Contratei o serviço (10 000 pesos, cerca de 40 reais). O tour dura o dia inteiro e você conhece os principais pontos turísticos de Valparaíso e Vina del Mar. A alimentação é por sua conta.

O guia foi um senhor super simpático. Ao final do passeio, pedi para que me deixassem na rodoviária de Vina del Mar e lá comprei minha passagem de volta a Santiago. Há uma grande disponibilidade de ônibus. Ao chegar a Santiago, voltei ao hostel e fui descansar, pois, no dia seguinte, faria uma nova viagem, dessa vez rumo à Patagônia.

O que visitar no Chile

Valparaíso

Valparaíso Chile

Grafites em Valparaíso

Valparaiso Neruda

Casa de Pablo Neruda

Viña del Mar

Relógio de Flores Viña del Mar

o que visitar em Viña del Mar

Viña Del Mar

o que visitar em Viña del Mar

Viña Del Mar

Patagônia Chilena (15 a 26 de fevereiro)

Punta Arenas Chile

Estreito de Magalhães – Punta Arenas

Meu Objetivo, ao viajar para a Patagônia chilena, era conhecer o famoso Parque Nacional Torres Del Paines, eleito recentemente a oitava maravilha do mundo. Como havia planejado com antecedência, comprei uma passagem de avião para Punta Arenas, a cidade, com aeroporto, mais próxima do parque. Da mesma forma que para Calama, comprei através do site LAN/CH (lembre-se: na LAN/BR é mais cara!!). Paguei aproximadamente 300 reais, ida e volta.

Fiquei dois dias em Punta Arenas antes de partir para Puerto Natales, a cidade mais próxima do parque. Punta Arenas é uma cidade muito agradável, repleta de casas exuberantes e um clima frio com dias bonitos. Como fui em fevereiro, os dias são bem longos e a noite cai por volta das 21 hs. Faça um passeio pelo Estreito de Magalhães e admire a paisagem; a população local costuma ir com a família para se divertir.

Puerto Natales

Puerto Natales

Puerto Natales

Puerto Natales

Puerto Natales

Puerto Natales

No hostel, procurei me informar com pessoas que estavam voltando do parque e podíam me passar diversas dicas. Uma delas foi para procurar o “Base Camp” em Puerto Natales. Este é um local onde as pessoas se reúnem antes de ir ao parque. Lá, um guia lhe explicará muitas coisas que se deve saber sobre o parque: acampamentos, o que levar, equipamentos, trilhas, etc. Basicamente, o passeio consiste em duas rotas: a rota W e a rota O.

A primeira tem esse nome por seguir um W e tem duração aproximada de 5 dias. Já a Segunda possui esse nome por dar a volta completa no parque. É mais longa e tem duração aproximada de 10 dias. Eu fiz a primeira, de forma invertida, considerada mais fácil, já que você estará carregando maior quantidade de bagagem e os trechos são menos íngremes. As principais atrações são o Glacier Grey e Las Torres. A entrada no parque custa 18 000 pesos para estrangeiros. Dentro, existem acampamentos pagos e não-pagos. A experiência do passeio é incrível. É um momento de reflexão, desafio e introspecção.

Patagônia Chile

Parque Nacional Torres Del Paine

Patagônia Chile

Parque Nacional Torres Del Paine

Patagônia Chile

Parque Nacional Torres Del Paine

Patagônia Chile

Parque Nacional Torres Del Paine

Parque Nacional Torres Del Paine

Glaciar Grey

Terminada a expedição, voltei a Puerto Natales. Fiquei mais uns dois dias e voltei a Punta Arenas. Aproveitei para conhecer a Isla Magdalena, considerada santuário dos pinguins. É uma pequena ilha com centenas de pinguins que acabam migrando para outras partes do mundo.

Pinguins Chile

Isla Magdalena

Pinguins Chile

Isla Magdalena

Por fim, retornei a Santiago, onde fiquei mais um dia. Aproveitei para ir ao estádio, uma vez que estava tendo uma partida do meu time pela Libertadores da América. Foi uma viagem fantástica, marcante por inúmeros fatores. Dentre eles, destaco o fato de ter sido a primeira vez que viajei sozinho e, também, destaco a oportunidade que tive de conhecer lugares e pessoas incríveis!

É isso aí galera! Espero que tenham gostado das dicas e do roteiro! Curta nossa fã page no facebook (www.facebook.com/tripaddicts) e siga nosso perfil no Instagram para acompanhar as dicas dos lugares mais incríveis do mundo! Deixe seu comentário e seu feedback, para que possa sempre melhorar os roteiros !

Cadastre seu e-mail e receba gratuitamente dicas e roteiros de viagens
Quero receber

10 comentários sobre “Chile: De San Pedro do Atacama à Patagônia. Dicas, roteiros e o que visitar

    1. Trip Addicts Autor da Postagem

      Olá, que bom que gostou! Espero que as dicas possam ser úteis! Então, na época em que fiz a viagem, gastei algo em torno de R$ 2000,00. Mas na época o dólar estava mais baixo. Ainda sim o Chile é um lugar que dá pra conhecer muita coisa gastando pouco. Lembro que os passeios no Atacama não eram caros. Paguei R$ 400 por um pacote de passeios por 7 dias.

  1. Patricia Bessa

    Olá! Tb adorei o roteiro e estou me preparando para algo parecido no final do ano. Fiquei com algumas duvidas: é melhor se hospedar em Puerto Natales ou no proprio parque? Qual agência contratar para os passeios? Neste circuito W, os passeios acontecem durante as manhas e tardes e a noite volto para o local de hospedagem? Obrigada!!

    1. Trip Addicts Autor da Postagem

      Olá Patrícia! Tudo bem? Então, Puerto Natales serve para você se organizar antes de ir ao Parque. Há um local chamado Camp Base onde um guia explica diariamente o funcionamento do parque. Na cidade você poderá alugar equipamentos e comprar mantimentos antes de partir. No meu caso, o passeio era por nossa conta, fica a seu critério decidir quantos dias você irá gastar para realizar todo o circuito. Geralmente as pessoas realizam em 4 a 5 dias. Os percursos são longos e, existem acampamentos ao longo do parque. Mas também existem hotéis e talvez haja passeios guiados. É necessário bastante preparo físico para realizar todo circuito. Em alguns acampamentos não há água quente.

  2. Helder

    Adorei a postagem! Especialmente as dicas de translado 🙂
    Estou pensando em um roteiro entre Uyuni, Atacama e Patagônia Chilena, já salvei pra consultar mais pra frente

    Uma sugestão: faça um post de como foi sua experiência no circuito W. Hospedagem (barraca, refúgio), o que levou, o que curtiu mais, etc! A maioria das informações que tem por aí são de estrangeiros, seria legal conhecer a experiência de um brasileiro que foi 🙂

    Abraço!

    1. Trip Addicts Autor da Postagem

      Que bom que gostou! É um prazer poder ajudar! Valeu pela sugestão, vou preparar um post para o circuito! Muita gente tem dúvida mesmo! Um abraço e ótima viagem!

  3. Paula Zambotti

    Adorei seu roteiro.
    Estou pensando em ir com meu marido e filho de 7 anos.
    Acha que é possivel fazer esse roteiro com uma criança?

    Abs.

    Paula

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu e-mail e receba gratuitamente dicas e roteiros de viagens
Quero receber