África do sul, roteiro de 14 dias: Safari selvagem, montanhas, canyons, tribos zulus, praias e muito mais!

Saudações amigos!

DCIM100GOPROG0031201.

Estou de volta com mais um roteiro sensacional. Dessa vez o destino escolhido foi a África do Sul, país localizado no sul do continente africano e que foi palco da Copa do Mundo em 2010. Foram 14 dias de muitos passeios e aventuras, com direito à Safari no Kruger National Park, viagem ao Cabo da Boa Esperança, visita às formosas vinícolas de Stellenbosch além de diversos pontos turísticos em Johanesburgo, Cape Town e Durban.

E o melhor de tudo: é uma viagem que pode caber no seu bolso, pois tratando-se de viagens internacionais, a África do Sul ainda é considerado um destino barato.  A seguir, detalharei os gastos da viagem para vocês terem idéia, mas ao todo, incluindo a passagem aérea, foram gastos R$ 4581, 26. Isso mesmo, menos de R$ 5 mil incluindo a passagem! OBS: viagem feita com mais 2 amigos, o que ajudou a baratear alguns custos, como hospedagem, aluguel do carro e taxi.

Gastos Totais da Viagem

Gastos Totais da Viagem

Muita gente deve pensar que sou milionário por viajar tanto, mas se você for um leitor assíduo desse blog, logo descobrirá que é possível fazer várias viagens gastando pouco. Para começar, comprei a passagem utilizando milhas aéreas.

Foram 50 mil milhas ida e volta (25 mil milhas o trecho). Logo, só precisei pagar a taxa de embarque, que foi de R$ 357,62. Atualmente meu programa de milhagem favorito é o Multiplus e foi através dele que emiti os bilhetes. 25 mil milhas para um trecho internacional deste é considerado muito barato, pode acreditar!

pode acreditar: consegui comprar cada trecho por 25 mil milhas

pode acreditar: consegui comprar cada trecho por 25 mil milhas

Se você ainda não sabe como acumular milhas aéreas, não se preocupe, clique aqui que lhe contarei detalhadamente como fazer.

Confesso que deu um certo trabalho para organizar o roteiro e otimizar o tempo, pois sinceramente, 14 dias na África do Sul é pouco diante do que ela tem a oferecer. No entanto, como não tinha mais tempo disponível, tive que suar para conseguir encaixar os melhores passeios. Se você tiver mais tempo, terá mais flexibilidade, mas caso contrário, sugiro seguir o roteiro que montei ao pé da letra. A seguir, um resumo do nosso itinerário:

viagem África do Sul

Roteiro e Itinerário – 14 dias na África do Sul

Qual a melhor época para se visitar a África do Sul?

Essa é uma pergunta relativa, mas baseando-se na minha viagem, tenho a dizer que maio foi um mês excelente. Primeiro porque se você for fazer um safari, os meses de maio a agosto são os meses mais secos e isso é ótimo nesse caso, pois com a escassez de água, os animais são forçados a sairem para procurarem água, facilitando a sua visualização.

Segundo porque o clima é mais frio nesses meses e, por isso, as temperaturas são mais agradáveis, especialmente se você deseja fazer a rota do vinho em Stellenbosch. Dos 14 dias de viagem, apenas 1 choveu e os dias estavam lindos e ensolarados conforme verão nas fotos.

Safari:

safari africa

Por do sol no Kruger Park

O Safari foi o ponto inicial do meu roteiro. Primeiro defini a data em que iria realizá-lo, para então, decidir os outros passeios. Afinal, ir à África e não realizar um safari é como ir à França e não visitar a Torre Eiffel.

Sugiro um safari de 4 dias e, a seguir, lhe explicarei o porquê. Os passeios para avistar os animais são chamados de “Game Drive” e são realizados dois ao longo do dia. O primeiro bem cedinho, às 6 da manhã, com duração de 3 horas e o segundo às 14:30, também com duração de 3 horas. E esses game drives são bem imprevisíveis e você precisa contar um pouco com a sorte.

Safari Africa

Camping Kruger Park

Por exemplo: em um deles avistamos pouquíssimos animais e, em outro, conseguimos visualizar 4 dos chamados BIG FIVE. Muitos ficam preocupados em avistar os big five, que são: Leão, Rinoceronte, Búfalo, Leopardo e Elefante. Felizmente consegui avistar e fotografar todos eles, mas você verá muitas outras espécies de animais e aves maravilhosas.

Safari Kruger Park

Girafa Kruger – Park

Big Five

Elefante – Kruger Park

Big Five

Leopardo – Kruger Park

Big Five

Leão – Kruger Park

Big Five

Rinoceronte- Kruger Park

Diversas aves exóticas no parque

Diversas aves exóticas no parque

Por isso recomendo 4 dias, para que você tenha a oportunidade de vislumbrar uma grande quantidade de animais e aves no parque. Além disso, caso tenha interesse, você tem a possibilidade de trocar um game drive pela Panorama Route, que é uma rota que você faz de carro com o guia pelo Blyde River Canyon, e tem a oportunidade de apreciar lindíssimas paisagens como a Lisbon Falls, Three Rondavels e God´s Window.

Panorama Route

Blyde River Canyon

Panorama Route

God´s Window

Panorama Route

Lisbon Falls

Panorama Route

Three Rodanvels

O passeio foi reservado através do site www.krugerpark.com. Você tem a opção de vários tipos de hospedagem no parque: hotel, chalé, camping. Obviamente optei pela mais barata, rss, que foi a de camping. Pagamos então o equivalente a 350 dólares pelos 4 dias de camping no Kruger Park, com direito a dois game drive por dia e duas refeições inclusas (café da manhã e jantar).

OBS importantes: mesmo sendo camping, você conta com um certo conforto. Dentro da barraca há uma cama, logo você não fica deitado diretamente em contato com o chão. As refeições são fartas, você pode comer a vontade e, inclusive, o vinho é liberado durante o jantar. Os banheiros possuem banhos quentes. Existe uma lanchonete e um restaurante mais sofisticado caso queira esbanjar um pouco mais.

Leve roupas de frio, bonés ou chapéus, repelentes, pois apesar de não ser uma área endêmica de malária é melhor não correr o risco.

O vídeo do safari você encontra no link a seguir:

Johannesburgo:

Nós passamos 3 noites em Johannesburgo, pois preferimos otimizar nosso tempo em Cape Town. Tivemos dois dias inteiros para conhecer as principais atrações da cidade e achei suficiente. Claro, se tiver com mais tempo, vale a pena dar uma investida em Pretoria, que é a capital executiva da África do Sul e está localizada a 60 km de Johannesburgo.

Johannesburgo

Johannesburgo

O que visitar em Johannesburgo:

Principais pontos turísticos

Principais pontos turísticos

Nesses dois dias conseguimos visitar os principais pontos turísticos e aprender um pouco mais sobre a história do Apartheid e de Nelson Mandela. Visitamos os seguintes pontos turísticos:

Mandela´s House: Casa onde Nelson Mandela viveu durante os anos de 1946 a 1962, atualmente transformada em museu. Fica localizada no bairro Soweto e visitá-la é uma forma de resgatar um pouco de sua história e seu legado. Mandela é considerado o mais importante líder da África Negra e foi vencedor do prêmio Nobel em 1993. Dedicou sua vida lutando pelos princípios da democracia: liberdade, igualdade, responsabilidade, diversidade, respeito e reconciliação. Valor da entrada: 60 Rands (R$ 15,00)

Soweto

Mandela´s House

Museu do Apartheid: parada obrigatória para os turistas que visitam Johannesburgo. Este museu conta a história do Apartheid por meio de fotografias, filmes e artefatos. O Apartheid foi um regime de segregação racial adotado de 1948 a 1994 pelos sucessivos governos do Partido Nacional da África do Sul, no qual os direitos da maioria dos habitantes foram cerceados pelo governo formado pela minoria branca. De acordo com os líderes desse partido, a África do Sul era composta por quatro nações composta por quatro grupos raciais distintos: brancos, negros, de cor e indianos. Valor: 80 Rands (20 Reais)

O que visitar em Joanesburgo

Museu do Apartheid

O Apartheid não permitia o acesso dos negros às urnas e os proibia de adquirir terras na maior parte do país, obrigando-os a viver em zonas residenciais segregadas, uma espécie de confinamento geográfico. Casamentos e relações sexuais entre pessoas de diferentes etnias também eram proibidos.

Africa do Sul

Museu do Apartheid

Orlando Towers: Estação de energia movida a carvão desativada em Soweto, uma cidade periférica à Johannesburgo. Foi construída no final da Segunda Guerra Mundial e ficou ativa por mais de 50 anos. O artista Janine Kleinschmidt, designer gráfico, foi contratado para elaborar a pintura de ambas as torres, que hoje formam um cenário artístico de Johannesburgo. Para os amantes de aventuras radicais, também é possível saltar de bungee jumping pelo preço de R 550 (aproximadamente R$ 140,00)

Soweto

Orlando Towers

Soweto: Sigla de South Western Townships, é uma cidade contígua a Johannesburgo, que foi estabelecida em 1963, para juntar sob uma mesma administração um conjunto de bairros para negros. Ficou conhecido na época do Apartheid por ser foco de resistência anti-racista e de protestos dos negros contra a política oficial de discriminação racial. Também foi o local onde Mandela viveu por vários anos. Ainda guarda grande contraste, sendo uma das áreas mais pobres de Johannesburgo.

Johannesburg

Soweto

Hector Pieterson Memorial: Hector Pieterson tornou-se um símbolo do levante em Soweto a partir de uma fotografia que circulou por todo o mundo. Hector foi um garoto sul africano de 13 anos morto nos braços de um colega enquanto fugia da polícia repressora durante os confrontos ocorridos em Soweto, na época do Apartheid. Durante anos, o dia 16 de junho ficou conhecido como símbolo da resistência à brutalidade do governo do Apartheid. Atualmente, esse dia é designando como dia da Juventude.

o que fazer em joanesburgo

Hector Pieterson Memorial

Constitution Hill: foi inicialmente um forte construído em 1892. Posteriormente, foi transformado em prisão, formando um complexo de quatro edifícios. O local era conhecido pelo seu tratamento duro com os prisioneiros, que variava de criminosos comuns a milhares de homens e mulheres comuns que infringiam as legislações do Apartheid.

Muitos presos políticas também foram mantidos nesse complexo, bem como personalidades como Nelson Mandela e Mahatma Gandhi. Atualmente é a sede do Tribunal Constitucional da África do Sul e, do lado de fora do tribunal, está situada a chama da democracia, que foi acesa em 2012, quando a África do Sul celebrou o 15º aniversário da assinatura da Constituição. Valor da visita: 55 Rands.

O que visitar em Johannesburg

Constitution Hill

Carlton Center: é atualmente o 185º aranha-céu mais alto do mundo, com 223 metros. É possível pegar um elevador até o último andar (Top of África) de onde é possível ter uma vista panorâmica de Johannesburgo. Na base do edifício funciona um pequeno shopping, com algumas lojas e lanchonetes. Valor da visita ao último andar: 15 Rands

Johannesburg

Carlton Center – Top of Africa

Market Theatre: no local há um teatro que foi aberto em 1976, operando como um teatro independente, não racial durante o regime do Apartheid. Nele, foram encenadas diversas performances de protesto contra as leis de censura implementadas durante o Apartheid. Até hoje possui a tradição de apresentar espetáculos atraentes. Localizado no coração de Newtown, o teatro é cercado por uma série de outras importantes instituições como o Museu África, Museu do Trabalhador e divide espaço com a zona comercial que abriga inúmeras lojas, cafés, bares e restaurantes.

o que visitar em joanesburgo

Market Theatre

Onde se hospedar em Johannesburgo:

Nós ficamos três noites em Johannesburgo, uma antes do Safari e duas após. Logisticamente, encontramos uma forma de economizar ficando no Ange (http://www.ange.co.za) na primeira noite, pois fica bem próximo ao Aeroporto e você não precisa se deslocar até o centro. Fizemos o check in e contratamos um passeio particular pelo Soweto e atrações próximas que custou R440 por pessoa. Quem nos levou foi o Joseph, um taxista super gente boa. Deixo aqui o seu contato: 0829254252.

Nas outras duas noites, ficamos hospedados no Homebase Melville, um hostel localizado no bairro Melville. Ótimo para quem gosta de badalação, pois fica próximo à uma rua lotada de bares, pubs e restaurantes.

Durban:

Durban é uma cidade sul-africana localizada na província de KwaZulu-Natal, na costa do Oceano Índico. É a terceira maior cidade do país em número de habitantes, após Johannesburgo e Cidade do cabo. O que chama a atenção é que Durban é a maior cidade indiana do mundo fora da Índia. Ao andar pela cidade, logo notará um grande número de habitantes com traços indianos, além de mercados, restaurantes e lojas com produtos indianos.

Durban´s Beach

As praias de Durban demonstram um clima de alegria

Durban Beach

Por do Sol em Durban

Ficamos um dia e meio na cidade, saindo de Johannesburgo. Pagamos o equivalente a R$ 170,00 na passagem aérea. Além das lindíssimas praias, Durban possui pontos turísticos interessantíssimos, que veremos a seguir:

O que visitar em Durban:

Principais pontos Turísticos

Principais pontos Turísticos

Ushaka Marine World: é um complexo formado por por dois parques temáticos: o Sea World e o Wet´n Wild. Se você é um amante da vida marinha e das atividades aquáticas, simplesmente irá amar esse lugar. Possui o quinto maior aquário do mundo, onde é possível admirar uma variedade de espécies marinhas. Também possui atrações com golfinhos, focas e tubarões, além de toboáguas, piscinas e atividades flutuantes. Valor: 122 Rands (aproximadamente R$ 30,00).

Ushaka Marine World

Aquário – Marine Ushaka World

Ushaka Marine World

Apresentação de golfinhos

Victoria Street Market: conheça um pouco da cultura afro-oriental visitando este mercado. Nele, é possível encontrar uma mescla de produtos africanos e indianos. Aproveite para comprar algumas especiarias como pimentas, temperos, chás e incensos. Mas não se esqueça de pechinchar, pois eles tentarão te convencer a qualquer custo a entrar em suas lojas e sair com algum produto.

Durban

Victoria Street Market . Local onde é possível encontrar uma grande variedade de especiarias indianas

o que visitar em Durban

Victoria Street Market

Moses Abhida Stadium: estádio construído às margens do Oceano Índico. Foi palco de importantes jogos da Copa do Mundo de 2010. Possui um bondinho (preço: 60 Rands) onde é possível subir até o topo e ter uma vista privilegiada da cidade. Além disso, para os amantes da adrenalina, é possível realizar um salto (Big Swing) do alto do estádio. É considerado o mais alto swing do mundo. Valor do salto: 695 Rands, aproximadamente R$ 175,00.

o que fazer em Durban

Moses Mabhida Stadium

O vídeo completo de nossa aventura em Durban você encontra aqui:

Onde se hospedar em Durban:

Nossa passagem por Durban foi muito breve, mas aprovamos o Hotel em que ficamos hospedados: Parade Hotel, que fica localizado de frente pro mar e com café da manhã incluso. Pagamos 950 Rands pela diária de um quarto para 3 pessoas, o que custou em média, cerca de R$ 77,00 por pessoa. Ótima localização e próximo ao Ushaka Marine World.

Cape Town:

Cape Town é a segunda cidade mais populosa do país, ficando atrás apenas de Johannesburgo. É famosa pelo seu porto natural, incluindo marcos bem conhecidos, como a montanha da Mesa (Table Mountain) e a baía da mesa. Historicamente, a cidade foi utilizada pela Companhia Holandesa das Índias Orientais como uma estação de abastecimento de navios holandeses que navegavam para a África Oriental, Índia e Extremo Oriente.

Ficamos seis dias, sendo que dois deles foram reservados para conhecer Stellenbosch e Cabo da Boa Esperança (falarei sobre esses dois destinos a seguir). Voamos de Durban e a passagem custou 1083 Rands (aproximadamente R$ 270,00). Tivemos muita sorte de pegar todos os dias ensolarados, o que fez com que os passeios ficassem ainda mais incríveis!

Aqui vai uma dica importante: se você faz muita questão de subir na Table Mountain ou Lion´s Head (falarei sobre elas a seguir), vá na primeira oportunidade que o céu não estiver coberto, principalmente na Table, pois não é autorizado subí-la nos dias fechados. Pensando nisso, quando programei meu roteiro, deixei fechado apenas o dia da visita nas vinícolas em Stellenbosch, pois é preciso reservar com antecedência. Os demais ficaram em aberto para tentarmos subir as montanhas.

O que visitar em Cape Town:

Principais pontos turísticos

Principais pontos turísticos

Waterfront: um dos principais cartões postais da cidade e parada obrigatória para os turistas. É uma região portuária da cidade charmosa e elegante que concentra diversos restaurantes, atividades ao ar livre como bandas e grupos musicais locais, além de possuir um shopping com centenas de lojas de grife. O clima do lugar é muitíssimo agradável e é possível avistar a Table Mountain ao fundo.

Cape Town Waterfront

Waterfront

Table Mountain: a montanha da Mesa é uma grande montanha de cume plano que domina a paisagem da Cidade do Cabo. Do seu topo, é possível ter uma vista panorâmica da cidade e do oceano atlântico. Existem duas formas de subí-la: através do bondinho (240 Rands ida e volta para adultos e 125 Rands somente um trecho – estudante paga meia entrada) ou através da trilha, de dificuldade média com duração aproximada de 2 horas para chegar até o topo. Se for fazer a trilha não se esqueça de levar pelo menos 1 litro d´água e, dependendo da hora, um agasalho, pois pode ventar muito.

Cape Town

Table Mountain

o que visitar em Cape Town

Table Mountain – Cape Town

Lion´s Head: outra montanha também bastante visitada em Cape Town. Possui esse nome pelo seu pico lembrar a cabeça de um leão (eu sinceramente não percebi isso – kkkk). Um dos melhores lugares para assistir o pôr do sol. Ao contrário da Table Mountain, não possui bondinho e só é possível chegar até o topo caminhando (cerca de 1 hora para subir, dificuldade leve). Caso vá para assistir o pôr do sol, não se esqueça de levar blusa de frio e lanterna, pois serão importantes na volta. É possível estacionar o carro próximo ao início da trilha. Localizamos fácil com auxílio do Waze.

Lion´s Head

Subindo a Lion´s Head

lions head

Vista do topo da Lion´s Head. Homenagem ao nossos parceiros do Trilhando Montanhas

O video completo subindo as duas montanhas você encontra em:

Camp´s Bay: é uma das praias mais badaladas da Cidade do Cabo, rodeada de luxuosas casas. Na orla, desde crianças brincando na areia até atletas correndo ou pessoas comuns passeando com seus cachorros. Um grande calçadão com muitas palmeiras acompanha a avenida por toda extensão da orla. Ótima opção para almoçar ou para um happy hour no final da tarde, pois possui diversos bares e restaurantes. Também é um lindo lugar para se admirar o pôr do sol. Se estiver de carro, basta colocar a localização no Waze e voilá!

O que visitar em Cape Town

Camp´s Bay

o que visitar em Cape Town

Por do sol em Camps Bay

Company´s Garden: é um parque localizado no centro da cidade. Possui um jardim, originalmente criado em 1650 para servir de plantação de legumes e hortaliças que supriam os navios que atracavam na Cidade do Cabo. Hoje, é possível encontrar uma amostra desse jardim, além de outras plantas nativas do local. Mas o mais interessante são os esquilos, sendo possível encontrar vários deles circulando pelo parque e, inclusive, se aproximar deles. Muito legal!

O que visitar em Cape Town

Company´s Garden

pontos turísticos em Cape Town

Esquilo no Company´s Garden

Mergulho com tubarões brancos: nós não fizemos esse passeio, mas caso tenha interesse, é uma ótima opção de diversão e adrenalina! Um embarcação te levará até um determinado ponto, onde você mergulhará no interior de uma jaula enquanto os pescadores alimentam o tubarão. Com freqüência eles se aproximam da jaula, mas fique tranquilo, você estará seguro dentro dela! Os preços variam de 1200 Rands à 1600 Rands e o passeio dura praticamente o dia inteiro, já que fica a mais de duas horas de Cape Town.

Credits: http://www.sharkzone.co.za

Credits: http://www.sharkzone.co.za

Robben Island: ilha onde Nelson Mandela ficou preso por mais de duas décadas. Fica localizada a 11 km da Cidade do Cabo. Durante um tour pela Robben Island, que fica a cerca de 20 minutos de barco do centro da Cidade do Cabo, os turistas (700 por dia na baixa temporada, 2.000 na alta) ouvem dos guias os detalhes de como era o dia a dia na prisão de segurança máxima. A prisão ficou conhecida como um dos símbolos do Apartheid. O passeio custa 320 Rands por adulto (aproximadamente R$ 80,00)

Credits: http://www.cntravelre.com

Credits: http://www.cntravelre.com

Stellenbosch:

Se você é um apreciador de vinhos ou pretende aprender mais sobre enologia, não deve deixar de fazer um tour até Stellenbosch. Diversas empresas fazem o tour de 1 dia saindo da Cidade do Cabo, mas se tiver alugado um carro, recomendo hospedar-se em Stellenbosch pelo menos uma noite para sentir o clima bucólico da cidade, que fica a 50 km da Cidade do Cabo.

Captura de Tela 2016-06-26 às 14.53.36

Reservamos um passeio privado pela Camino Tours (http://www.caminotours.co.za), que custou 2800 Rands para 3 pessoas (aproximadamente R$ 227,00 por pessoa). É um passeio que dura o dia inteiro e o motorista te busca no hotel em que estiver hospedado em Stellenbosch. Visitamos e fizemos degustação em 4 vinícolas excelentes (escolhidas pelo nosso guia, que também é enólogo). Você tem a opção de escolher no momento da reserva (são mais de 400!), mas sugiro seguir o conselho de nosso guia.

O passeio se encerrou às 17 horas, e depois voltamos para o hotel para descansar, pois no dia seguinte pegaríamos estrada para conhecer o Cabo da Boa Esperança. Vale lembrar: se for beber não dirija!!

Visita às vinícolas em Stellenbosch

Visita às vinícolas em Stellenbosch

o que fazer em Stellenbosch

Por do Sol em Stellenbosch

Degustação de vinhos em Stellenbosch

Stellenbosch taste wine

Stellenbosch

Vinícolas em Stellenbosch

Onde se hospedar em Stellenbosch:

Ficamos hospedados no Rosenview (www.rosenview.com). Não é nada luxuoso, mas simples, limpo e confortável. Também possui café da manhã incluso, estacionamento e uma linda vista para as montanhas. Pagamos 1000 Rands pela diária de um quarto para 3 pessoas, o que custou cerca de R$ 88 por pessoa.

Cabo da Boa Esperança:

Talvez esse tenha sido o passeio com mais paisagens maravilhosas ao longo do caminho. É até difícil dizer isso, pois visitamos vários lugares espetaculares, mas as paisagens deste dia foi de tirar o fôlego!

cabo-da-boa-esperaca

Esse também foi um passeio que durou um dia inteiro. Saímos de Stellenbosch rumo ao Cabo da Boa Esperança. Nossa primeira para foi em Boulders Beach, local onde é possível chegar bem próximos à pinguins-africanos. Existe uma reserva natural e é cobrada uma taxa de 65 Rands por pessoa.

Cabo da Boa Esperança

Boulders Beach – Santuário de Penguins

Em seguida, seguimos em direção ao Cape Point. É cobrado uma taxa de 125 Rands por pessoa para entrar na reserva. Se estiver de carro, existem diversos lugares onde é possível parar para admirar as paisagens. Uma dessas paradas é em Cape Point, local que abriga um farol no topo de uma rocha. Lá de cima, é possível avistar diversas praias e uma grande cadeia de montanhas.

Cabo da Boa Esperança

Cape Point

Cabo da Boa esperança

Cape Point

Nossa próxima parada foi o Cabo da Boa Esperança, conhecido desde a época da navegação portuguesa como Cabo das Tormentas, por ser um local onde as tempestades derrubavam várias embarcações.

Cape Of Good Hope

Cabo da Boa Esperança

Cape Of Good Hope

Cabo da Boa Esperança

Depois seguimos para Kommetjie e almoçamos no restaurante Blue Water Café Restaurant. O lugar é simplesmente maravilhoso e a comida deliciosa. Você almoça de frente para uma paisagem que parece uma pintura. Não se preocupe com os nomes, pois todos esses lugares você encontra através do aplicativo Waze e é tudo muito bem sinalizado.

Kommetjie

Vista do Restaurante Blue Water Cafe em Kommetjie

Por fim, seguimos em direção à Llandudno, passando pela Chapmans Peak Road, uma rodovia que contorna o litoral pelo alto de um desfiladeiro. Simplesmente uma das estradas mais bonitas que já vi até hoje! Não deixe de fazer esse caminho! E para finalizar o nosso passeio, paramos em Llandudno para apreciar o pôr do sol! Simplesmente fantástico esse dia!

Cape of Good Hope Drive

Chapmans Peak Drive

Table Mountain e Lions Head

Por do sol em Llandudno

O vídeo completo da nossa aventura pelo Cabo da Boa Esperança você encontra em:

Onde se hospedar em Cape Town:

Ficamos hospedados em dois hostels durante nossa passagem pela cidade, e confesso que é difícil escolher qual foi o melhor. Ambos muito bem localizados, muito bem arrumados, com estacionamento e wifi funcionando com ótima qualidade. Primeiro nos hospedamos no The Backpack Cape Town e, depois, no Mojo. Ambos você consegue reservar pelo site do hostelworld.

Espero que tenham gostado do roteiro. Nos esforçamos ao máximo para deixá-lo super completo para você. Sigam nosso instagram: @tripaddicits (www.tripaddicts.com/tripaddicts) e use #tripaddicts em suas fotos para ser destaque em nosso perfil.

Quer aprender a tirar fotos iradas em suas viagens? Confira a sessão dicas de fotografias clicando aqui. Um abraço e até a próxima! Aproveite também para assinar nossa newsletter e receber roteiros como esse em seu e-mail sem pagar nada!

Cadastre seu e-mail e receba gratuitamente dicas e roteiros de viagens
Quero receber

20 comentários sobre “África do sul, roteiro de 14 dias: Safari selvagem, montanhas, canyons, tribos zulus, praias e muito mais!

  1. Regiane

    Olá! Estou planejando ir em setembro para lá.
    Uma dúvida é: como fazer o câmbio? Levar dólares e trocar por rands lá, ou tentar achar rands aqui no Brasil? Ameeei as dicas, principalmente de hospedagem.

    1. Trip Addicts Autor da Postagem

      Olá Regiane! Tudo bem? Então, eu levei dólares que troquei aqui no Brasil, acho que é mais vantajoso. Troquei no aeroporto quando cheguei. Que bom que gostou das dicas, vai adorar a viagem! Aproveite para se cadastrar em nossa newsletter! Abraços!

  2. Robson

    Cara, conheci seu blog hoje e gostei pra baralho!!! Seu roteiro de Capitólio vai me salvar na semana que vem e este da África do Sul vai me salvar em Dezembro/Janeiro próximos!!!

    Quando eu tiver um tempo vou descrever meu roteiro (circular) pelo sul do Chile/Bariloche por uma rota pouco conhecida pelos brazucas.

    Por ora, muito obrigado e continuação de bom trabalho!!!!

  3. Fabiano

    Boa noite, tudo bem?

    estou pretendo ir em na segunda quinzena de Junho / 2017, e tenho algumas duvidas, tais como:

    – como foi que voce fez o translado – Johanesburgo para Kruger National Park? Indica alguma empresa para fazer este percurso?
    – quantos dias sao necessarios no Kruger National Park?

    Grato,

    1. Trip Addicts Autor da Postagem

      Fiz a rezerva pelo khttp://www.krugerpark.co.za Enviei um e-mail e resolvi tudo por ele. A empresa fornece transfer até o kruger, saindo do hotel onde ficará hospedado. Recomendo no mínimo 4, para que você aproveite bem! Apesar de fazer vários safari, corre o risco de não ver todos os animais mais exóticos. É questão de sorte. Tem gente que fica menos e tem o azar de ver poucos animais.

  4. Pamela

    Oi! Tudo bem? Adorei as dicas do blog…

    Realizarei mais ou menos o mesmo roteiro em junho/2017, fiquei com uma duvida…
    Realizo a reserva do kruger pelo site mesmo?
    E como vc fez para ir de joanesburgo pro Kruger, existe um onibus que faca esse trajeto?

    Muito obrigada pelas informações.

    Pâmela

    1. Trip Addicts Autor da Postagem

      Olá! Que bom que gostou! Então, como no meu caso foi camping de 4 dias, essa opção não se encontra no site se não me engano. Daí enviei um email para eles (um tal de Zane me respondeu). Combinei tudo por email, no final ele mandou um link onde você efetua a compra. A própria empresa fornece o transfer até o Kruger. Espero ter ajudado!

  5. Debora Faro

    Olá, estou planejando uma viagem de 12 dias com meu esposo, muito bom seu blog. Gostaria de saber como você comprou as passagens aereas domésticas?

    1. Trip Addicts Autor da Postagem

      Olá! Muito obrigado pelo feedback!! Foi através do site da decolar! Mesmo sendo voos domésticos, você consegue encontrar no site da decolar. Um abraço!

  6. Marina

    Bom dia! O preço que vc pagou na hospedagem inclui tarifa de “entrada” no kruger, mesmo estando hospedado dentro do parque? E inclui passeios também? Estou muito na dúvida se me hospedo dentro ou fora do parque, porque fora parece mais barato… obrigada!

    1. Trip Addicts Autor da Postagem

      Olá! O preço do pacote inclui a entrada no parque. Inclusive café da manhã e uma refeição por dia estão inclusos. Você precisará gastar apenas com mais uma refeição por dia. Além disso, fazer o passeio por conta própria não vale a pena, pois os guias já tem a manha de encontrar os animais. Corre o risco de você ficar rodando de carro e não achar muitos animais.

  7. Ze carlos

    top demais seu roteiro , pretendo fazer parecido vou dia 04/11/17 e volto dia 19/11 , quantos dias fico em jonersburgo e cape tow ? pretendo fazer os 4 dias do khruguer igual vc uma duvida as barracas e de boa ? não corre um risco de um leao aparecer rs ..

    como faço pra pegar mais dica com vc ?

    obrigado pela ajuda

    1. Trip Addicts Autor da Postagem

      Super tranquilo, o local é seguro, pois fica dentro da área protegida do parque. Recomendo 2 ou 3 dias em Johannesburgo e 6 em Cape Town.

  8. Fernanda

    Boa noite!

    Primeiramente, parabéns pelo post super completo e cheio de dicas!

    Fiquei com algumas dúvidas em relação ao transporte:

    1.Saindo do Brasil, vocês já haviam adquirido todas as passagens aéreas entre os trechos?

    2. Os trechos cujas passagens foram necessárias foram: Brasil – Joanesburgo , Joanesburgo – Durban, Durban – Cape Town e Cape Town – Brasil?

    3. Para os trechos internos na África, foram utilizadas companhias low cost? Você tem alguma para indicar?

    4. Por último, pretendo fazer essa viagem sozinha e gostaria de saber se existem agências que realizam tours para o Cabo da Boa Esperança (acho que seria uma alternativa ao aluguel de carro para uma só pessoa).

    Obrigada!

    1. Trip Addicts Autor da Postagem

      Olá! Boa noite Fernanda!

      Muito obrigado pelo seu comentário! Fico feliz em poder ajudar!
      Então, respondendo às suas perguntas:

      1. Sim, antes mesmo de viajar para lá já havia comprado as passagens de Johannesburgo para Durban e de Durban para Cape Town
      2. Sim, lembrando que comprei os trechos separados: Brasil–>Johannesburgo e Cape Town–>Brasil
      3. Escolhi as companhias pelo site da decolar, as com preços mais em conta
      4. Existem sim, lá com certeza você irá encontrar, mas não vou saber te indicar alguma de confiança

      Espero ter ajudado!
      abraços!

  9. MARIANA SANTLE

    Olá, primeiramente te parabenizo pelo seu blog, adorei as suas dicas!!!!
    Uma duvida: os 3 dias que ficou alojado no Kruger, foi em barraca de camping. Eles te forneceram? ou obrigatoriamente temos que levar?

    E o que você tem a dizer dessa experiencia no parque de ficar numa barraca de camping, é seguro???

    Muito obrigada desde já!!

    1. Trip Addicts Autor da Postagem

      Olá! Muito obrigado pelo comentário! Fico feliz que tenha gostado! As barras são próprias do parque, têm boa estrutura e são seguras, pois ficam numa área protegida. Só precisa fechar ao sair para os macacos não roubarem seus pertences! rsss

  10. Xadai Alves Fandino

    Olá,

    Excelente roteiro e ótimas informações.

    Vou para a África do Sul no final deste mês. Pretendo ir ao Kruger Park, mas ainda não reservei nada.

    Como vou sozinho, não quero alugar um carro.

    Estou vendo os pacotes no site que vocês indicaram http://www.krugerpark.co.za, mas o mais barato que encontrei foi o 3 Days Classic Tented Kruger Park Safari Package, por 7500 ZAR. Incluindo o transporte de Johanesburgo.

    Mas está bem mais caro que o de 350 dólares que vocês fizeram.

    Vocês lembram do nome do pacote que pegaram? Será que essa é a opção mais barata atualmente, por aquele site?

    Outra alternativa seria reservar a acomodação direto pelo site do parque mesmo, https://www.sanparks.org, lá tem varias opções, mas eu não consigo achar a informação de como chegaria até o camp escolhido sem alugar um carro. vocês sabem se tem algum serviço de transporte, saindo de Nelspruit, por exemplo?

    Obrigado.

    1. Trip Addicts Autor da Postagem

      Olá! Muito obrigado pelo seu comentário! Quando reservei eu enviei um email diretamente para eles, disse que queria a opção de camping mais barata. Daí ele me enviou o 4 Day camping e o link para o pagamento. Tente enviar um email para zane.p@krugerpark.com, foi através desse email que me comuniquei. Quando fechei o pacote o transfer já estava incluso. Infelizmente não tenho mais o email aqui.Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu e-mail e receba gratuitamente dicas e roteiros de viagens
Quero receber