Viaje pelo mundo gastando pouco (ou quase nada) em hospedagem

Olá amigos viajantes!

Este é o terceiro artigo da série “Como viajar gastando pouco”. Neste post irei compartilhar meus conhecimentos sobre como economizar uma boa grana em hospedagens. Se você ainda não leu os outros dois artigos “Como acumular milhas aéreas” e “Como comprar passagens aéreas baratas, deixarei os links no final do texto.

Bom, recentemente tenho tentado mostrar como é muito mais econômico viajar por conta própria do que recorrer aos pacotes de viagens de agências de turismo.

Até o momento já foram nove viagens para o exterior e dezenas pelo Brasil e, em nenhuma delas foi pelos pacotes de viagens. Meu objetivo é tentar mostrar que não é preciso ser rico para viajar muito, basta saber como planejar e organizar sua viagem.

créditos: odinheirista.com.br

créditos: odinheirista.com.br

Tenho conhecidos e familiares que já viajaram comprando pacotes de viagens de agências de turismo. Ao descobrir quanto gastaram em suas viagens fiquei estarrecido. Descobri que o valor que gastaram em uma única viagem, conseguia fazer três viagens para o exterior.

“Sério?! Não acredito!” Pode estar você pensando neste exato momento. Mas vamos lá: Enquanto um conhecido gastou R$ 15 mil em uma viagem para Europa de duas semanas, eu consegui gastar R$ 3 mil numa viagem para o Chile de 23 dias (incluindo a passagem), R$ 5 mil em uma viagem de duas semanas para o Japão (incluindo a passagem) e R$ 2 mil para uma viagem ao Peru (incluindo a passagem) de duas semanas.

E não pense que deixei de conhecer os lugares mais incríveis por causa de pão durismo. Basta dar uma espiada pelos roteiros dos blog e ver o tanto de lugar maravilhoso que já tive a oportunidade de conhecer.

Se você pensa em ficar em hotéis luxuosos nem precisa continuar lendo esse artigo, mas se o importante é conhecer a essência de cada lugar, aproveitar os passeios e os principais pontos turísticos, que tal aprender a economizar em hospedagem?

E isso não significa perder em conforto. Já tive a oportunidade de me hospedar em locais super confortáveis, agradáveis e com um delicioso café da manhã por um preço BEM mais acessível. Quer um exemplo? Na minha última viagem, que foi para os Lençóis Maranhenses, fiquei numa pousada com piscina, ar condicionado no quarto, café da manhã gostoso e bem servido, por nada menos que R$ 315 num quarto de família para 6 pessoas, ou seja, cada diária saiu por R$ 52,5 por pessoa. Nada mal né?

Pousada super aconchegante nos Lençóis Maranheses: quarto para 6 pessoas por R$ 315 a diária

Pousada super aconchegante nos Lençóis Maranheses: quarto para 6 pessoas por R$ 315 a diária

É claro que já fiquei em lugares menos confortáveis, as vezes barulhentos, por preços mais baratos. Na minha viagem para as Filipinas, por exemplo, a média de uma diária girava em torno de R$ 18,00. Para o Chile, cerca de R$ 25,00, para a Alemanha, algo em torno de R$ 40,00.

Mas eu, particularmente, não me importo muito com luxuosidade. É claro que não vou ficar em nenhum lugar com falta de higiene ou inseguro. Para isso, sempre procuro referências do lugar antes de confirmar a hospedagem.

Quando viajo quero aproveitar ao máximo os passeios, os pontos turísticos, conhecer o máximo de lugares possíveis. Sinceramente, quanto menos tempo na hospedagem melhor para mim.

Afinal, quando você terá outra chance de voltar em tal lugar novamente? Já vi muitas pessoas reclamarem de companhias de viagens que querem ficar dormindo no hotel, ou que as vezes demoram horas para se arrumar. Já aconteceu isso com você?

Bom, chega de papo, se não você acaba desistindo de continuar lendo esse artigo…A seguir, compartilharei das principais dicas para você gastar pouco, quase nada ou nada em suas hospedagem.

Hostels – Albergues

Não sei porque, mas muita gente tem receio ou preconceito de ficar em hostels. Já ouvi uma teoria que pode ser devido ao filme de terror “O Albergue” apresentado em 2005, tendo Quentin Tarantino como produtor.

Enfim, eu particularmente prefiro ficar em hostels. Primeiro porque você conhecerá muitos aventureiros, mochileiros e fará centenas de amizades ao redor do mundo. Graças a essas amizades já fui convidado diversas vezes para ficar na casa de amigos que fiz conhecendo por ficar hospedado em hostels.

Conforme dito anteriormente, os preços variam de acordo com o local. Países do sudeste asiático como Tailândia, Filipinas, Laos, por exemplo, possuem diárias super baratas, custando algo em torno de R$ 20 a diária. Países europeus possuem preços um pouco maiores, cerca de R$ 40 a R$ 50, mas nada comparado ao preço de diárias de hotéis. No Brasil os preços variam muito e, infelizmente, alguns possuem preços de hotéis.

Diversos hostels são organizados e limpos. Não é porque é barato que tem que ser ruim... foto: www.motterhome.com.br

Diversos hostels são organizados e limpos. Não é porque é barato que tem que ser ruim…
foto: www.motterhome.com.br

É claro que possui algumas desvantagens. Para pagar mais barato, muitas vezes você terá que compartilhar o quarto com mais pessoas. Isso faz com que você tenha menos privacidade.

Além disso, o barulho pode incomodar em alguns casos. Alguns hostels costumam promover festas para seus hóspedes. Não pense que por causa disso é coisa só de jovem. Diversas vezes ja vi pessoas mais velhas, até idosos ficando em hostels. Sábios são eles que sabem aproveitar e viajar bastante.

Para pesquisar o albergue, costumo utilizar dois sites de busca: o Hostelworld e o booking.com. É possível filtrar a busca por preços e pelas avaliações, o que é muito importante, afinal os hóspedes costumam dizer os prós e os contras (ex: organização, higiene, segurança, localização, barulho, receptividade, entre outros).

Reserve quarto de hostels pelo site www.hostelworld.com.br

Reserve quarto de hostels pelo site www.hostelworld.com.br

Couchsurfing:

É um serviço de hospitalidade com base na internet. O Couchsurfing é uma comunidade global com mais de 10 milhões de amantes de viagens em 200.000 cidades.

Através dela, turistas procuram acomodações em qualquer parte do mundo e quem oferece são os próprios moradores da cidade que você pretende visitar. Mas atenção, vejo muitos blogs dizendo que é um tipo de hospedagem grátis.

A pessoa que está oferecendo não irá te cobrar por ficar na casa dela, mas você não deve ser uma pessoa sem educação e sem etiqueta que não contribui com nenhuma despesa da casa.

Já ouvi muitas reclamações de brasileiros, que não tem um pingo de bom senso. Se um dia for utilizar esse serviço, contribua com as contas, faça uma compra para casa, tenha respeito e bom senso.

Traduzindo couchsurfing para o português, seria algo como “sofá amigo”. A idéia é a pessoa “te ceder o sofá de sua casa”, algo como oferecer um espaço para você se acomodar. Para utilizar, é preciso fazer um cadastro e preencher vários dados.

couchsurfing

Pesquise por um “sofá amigo em qualquer canto do mundo”

Ao criar seu perfil, deverá preencher um formulário com várias perguntas sobre você, incluindo profissão, línguas que fala, cidade natal, interesses, entre outros.

Isso é para que os usuários possam conhecer um pouco sobre você e, dessa forma, simpatizarem o suficiente para lhe receber em suas casas.

É claro que nem sempre é uma maravilha. Você precisa ter uma mente aberta e sem preconceitos e estar disposto a aceitar as regras da pessoa da casa.

Então, nada de reclamar se a pessoa anda pelado dentro da casa ou se a mesma anda soltando gases por aí. Além disso, é preciso tomar alguns cuidados.

Avise aos familiares onde vai ficar, dê-lhes o endereço e o telefone. Procure saber sobre a localização, pois nem sempre é vantajoso, pois pode ser bem afastado dos pontos turísticos.

Workaway:

É um site onde você procura hospedagem em troca de trabalho. Ele conecta pessoas que estão precisando de um serviço e, em troca, você recebe acomodação.

É preciso pagar uma taxa de 29 dólares para utilizar o serviço. Após se inscrever, poderá pesquisar sobre o tipo de trabalho que procura. O Workaway possui um banco de dados de famílias, indivíduos ou organizações que precisam de ajuda voluntária em diversos países.

Os trabalhos são os mais variados, como, por exemplo, ajudar em uma ONG, trabalhar como babá, com pintura, artesanato, ajudar em orfanatos, carpintaria, entre outros.

workaway

Diversos tipos de trabalhos como: babá, com pintura, artesanato, ajudar em orfanatos, carpintaria, entre outros

Alguns mochileiros aproveitam para trabalhar em hostels em troca de alojamento. É ótimo para quem pretende passar um tempo maior em determinado país e não tem muita grana para gastar com hospedagem.

Em alguns casos, além da acomodação, você também recebe alimentação. A média de trabalho varia de 2 a 6 horas por dia, variando de acordo com o anfitrião.

Mas lembre-se que é muitas das vezes é um tipo de trabalho humanitário. Você precisa estar engajado e preparado para tal. É necessário ter responsabilidades. É preciso se perguntar se está preparado para ajudar os outros. Você terá que dedicar parte do seu tempo para isto.

Airbnb: Alugue Casa, apartamentos ou quarto:

É um serviço online comunitário para as pessoas anunciarem, descobrirem e reservarem acomodações. Airbnb permite aos indivíduos alugar o todo ou parte de sua própria casa, como uma forma de acomodação extra.

O site fornece uma plataforma de busca e reservas entre a pessoa que oferece a acomodação e o turista que busca pela locação. Assim, é possível que viajantes encontrem espaços em diferentes regiões do mundo.

airbnb

Alugue casas, apartamentos ou quartos pelo airbnb

Seu cadastro é dividido entre hóspedes e anfitriões. Para diminuir os riscos, é necessário que ambos enviem documentos pessoais para validar o registro. Também é recomendado ficar de olho no perfil dos usuários e observar se há comentários negativos ou positivos.

AIESEC:

A AIESEC é uma rede global formada por jovens universitários e recém-graduados, que, por meio do trabalho dentro da organização e de intercâmbios profissionais, estimula a descoberta e o desenvolvimento do potencial de liderança de seus membros.

A organização sem fins lucrativos reúne jovens interessados em ser agentes positivos de mudança e que tenham interesse em se tornar exemplos de liderança e em conhecer novas culturas.

AIESEC

AIESEC

Os requisitos para viajar pela organização são ter entre 18 e 30 anos, estar cursando ensino superior ou pós-graduação ou ter concluído alguma dessas formações há até dois anos.

Com a AIESEC, existem duas modalidades de intercâmbio: sociais, nos quais o jovem realiza algum trabalho voluntário, com duração media de dois meses; e corporativo, um trainee na área de formação do estudante (gestão, técnico ou educativo), com duração média de seis meses. Há possibilidade de bolsa ou outros auxílios financeiros para ambas opções

AIESEC: trabalho voluntário e intercâmbio em diversos países

AIESEC: trabalho voluntário e intercâmbio em diversos países

Site de buscas:

Alguns sites são ótimos para comparar preços. Dois deles já foram citados anteriormente, como o Booking.com e o Hostelworld. Outros que costumo utilizar bastante são o Trivago (um dos melhores) e o Decolar.

trivago

Trivago: um dos melhores sites de comparação de preços

Planejamento:

Sempre que possível, tente evitar altas temporadas, pois os preços de hospedagem costumam ser mais elevados. Durante a baixa temporada, além dos preços de hospedagem serem mais baratos, as passagens aéreas também costumam ser mais baratas. Outra vantagem é que os locais não ficam tão cheios e insuportáveis se comparados à alta temporada.

Conclusão: 

Volto a frisar que não é necessário ser rico para viajar muito. Se você seguir essas dicas, com certeza estará economizando muito em suas viagens. Além das dicas para economizar em hospedagem, sugiro a leitura dos artigos a seguir (abriram em uma aba separada):

Como juntar milhas aéreas

Como comprar passagens aéreas baratas

Espero que tenham gostado do material. Para não perder nenhuma dica, assine nossa newsletter. Prometemos enviar somente conteúdo relacionado à viagens, como dicas e roteiros. Não esqueça também de curtir nossa página no facebook: www.facebook.com/tripaddicts. Um abraço e até a próxima!

philippines_children

Cadastre seu e-mail e receba gratuitamente dicas e roteiros de viagens
Quero receber

4 comentários sobre “Viaje pelo mundo gastando pouco (ou quase nada) em hospedagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu e-mail e receba gratuitamente dicas e roteiros de viagens
Quero receber